A febre amarela tem assustado os moradores de São Paulo em 2017. Do início do ano até agora já foram registradas 22 casos e 10 mortes pela doença, todos de pessoas que se infectaram em outros estados.

Mas na semana passada a doença chegou um pouco mais perto da população paulista. O Horto Florestal e o Parque da Cantareira, localizados na Zona Norte de São Paulo, foram fechados após confirmação da presença do vírus da doença em um macaco que foi encontrado morto, e nesta semana o Parque Anhanguera foi fechado pelo mesmo motivo.

A transmissão da febre amarela para o macaco ocorre pelo mosquito Haemagogus, que é muito comum nas regiões de mata. Apesar de estar em contato com o vírus, os macacos não transmitem a doença aos humanos, o encarregado por essa parte é o mosquito Aedes Aegypti.

A melhor forma de se prevenir contra a doença é pela vacinação, que é disponibilizada nas unidades básicas de saúde da rede pública, e em clinicas da rede particular, onde custa em média R$ 250,00 a dose.

Apesar da proximidade com o local onde foram registrados os casos, São Caetano não registrou nenhum caso até agora. Mas alguns moradores do município, que trabalham frequentam a capital paulista se sentem inseguros.

Em nota a prefeitura de São Caetano informou que, a vacina contra a febre amarela faz parte do calendário de vacinação e sempre está disponível na rede pública. A prefeitura também alertou que a orientação do Ministério da Saúde é que apenas pessoas que forem para as áreas de risco devem procurar uma UBS para se vacinar.

A vacina, de dose única, deve ser tomada 10 dias antes de ir aos locais de risco e é necessário ter idade acima de 9 meses, pessoas maiores de 60 anos é recomendado procurar antes uma avaliação medica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here